Aquecimento global, uma discussão para levar para a sala de aula (e rápido)

Folha de S.Paulo
Quinta-feira, 3 de outubro de 2019
https://f.i.uol.com.br/fotografia/2019/10/01/15699598955d93afd7f23b7_1569959895_3x2_th.jpg
O planeta está esquentando (e rápido)
Olá, professores! (e simpatizantes)

Temos dois grandes temas nesta edição da newsletter Folha na Sala (só pra lembrar, ela é semanal, exclusiva para assinantes e feita especialmente para quem dá duro nas escolas pelo país).

Nos últimos dias saíram novas reportagens aprofundadas e interessantes sobre aquecimento global. Uma delas mostra que o nível do mar subiu 2,5 vezes mais rapidamente do que no século passado. Me parece um tema muito interessante para levar para a sala de aula. Se você der uma descida nesta página, verá os textos que selecionamos.

O segundo grande tema desta semana é esse ambiente de desinformação que vivemos (quem ouviu o segundo episódio do nosso podcast vai lembrar que devemos evitar o termo “fake news”; se você não ouviu, está aqui na newsletter também!).

Ali embaixo, temos ainda um texto exclusivo com dicas de como fazer checagens de notícias falsas. A autora é a jornalista Renata Galf, que trabalha no projeto Comprova, de checagem de informações (aliás, ela também deu uma palhinha no podcast).

Boa leitura e boa aula!
Fábio Takahashi
FÁBIO TAKAHASHI
Editor
Esta newsletter é feita em parceria com o Itaú Social
tema da semana
https://f.i.uol.com.br/fotografia/2019/09/30/15698743775d9261c90b230_1569874377_3x2_th.jpg
THE NEW YORK TIMES
Nível do mar sobe 2,5 vezes mais rapidamente do que no século 20, diz relatório da ONU
Texto também aponta alta de temperatura da água, o que coloca ecossistemas em risco
Link relacionado
ANÁLISE Atenção para a crise do clima nos oceanos chegará tarde demais
AMBIENTE
Gráfico mostra o aquecimento do planeta desde o século 19
Gráfico foi feito pela Berkeley Earth, criada para avaliar objeções de quem questiona papel humano na mudança climática
Grandes capitais brasileiras estão ameaçadas pelo aquecimento global
Cidades como Porto Alegre, Rio de Janeiro e Recife terão problemas críticos caso temperatura aumente
Polo - Itaú Social
PUBLICIDADE
É preciso conscientizar os alunos da importância de checar uma informação
Nem sempre a tarefa é fácil, muitos boatos misturam dados falsos a verdadeiros ou tiram conclusões distorcidas a partir da junção de fatos que não têm relação entre si.
Caso o conteúdo seja falso, ao compartilhar, os alunos estarão contribuindo para o processo de desinformação. 
A seguir, estão algumas dicas para fazer checagem em sala de aula.

Abra o link
Em alguns casos, simplesmente abrir o link da postagem pode ajudar nessa tarefa. Assim é possível ver se o texto é ou não recente. Veja se o título traz a mesma informação do resto do texto. 

Busca pelos termos principais 
Identifique as palavras que resumem a informação ou o boato e busque por elas no Google ou outro buscador. Há mais textos tratando do tema? Os sites em que elas foram publicadas são confiáveis?

Equipe do site 
Outra dica importante é analisar a equipe responsável pelo site e o tipo de conteúdo que ele publica. Em sites jornalísticos, essa informação geralmente fica no “Expediente”.

Fonte da informação
É importante também ler o texto inteiro e buscar entender qual é a fonte da informação. Muitas postagens falsas não citam nenhuma fonte. No entanto, sozinho, o fato de um texto não mencionar a fonte não significa que a informação é falsa, a própria Constituição prevê o sigilo da fonte para atividade jornalística. Por isso é importante analisar onde a informação foi publicada originalmente e se os outros conteúdos publicados parecem confiáveis.

Como saber se uma imagem pode ser antiga?
Com o Google Imagens, é possível procurar se a imagem que estão compartilhando já apareceu antes em outros sites. É comum que postagens falsas usem fotos antigas como se fossem atuais ou em contextos errados. Uma foto em outro país pode estar sendo divulgada como sendo no Brasil, por exemplo.

E se for um vídeo?
Também é possível procurar se um vídeo já foi publicado antes. A ferramenta Invid foi criada justamente para ajudar a verificar isso. Com ela, é possível capturar cenas congeladas de um vídeo e, em seguida, buscar por essas imagens na internet. A ferramenta só está disponível em inglês.

Encontre versões anteriores de um link
Em alguns casos, o link que se quer acessar pode não estar mais disponível ou seu conteúdo já ter sido alterado. Existe um site chamado “Wayback Machine“, que permite buscar versões anteriores de um determinado link. Basta colar o link no campo do site e clicar em “browse history”.

Mas a melhor dica ainda é: na dúvida, melhor não compartilhar.
RENATA GALF
Repórter da Folha no projeto Comprova
 
https://f.i.uol.com.br/fotografia/2019/10/01/15699536875d93979753235_1569953687_3x2_th.jpg
PALAVRA ABERTA
Falta de infraestrutura não é desculpa para não discutir educação midiática
A ideia de que o tema só pode constar no currículo com banda larga e computadores é um mito
para levar para a sala
https://f.i.uol.com.br/fotografia/2019/10/01/15699548825d939c422c331_1569954882_3x2_th.jpg
Maioria dos brasileiros defende proteção de florestas onde vivem índios isolados
Pesquisa Datafolha mostra que população aprova consulta aos povos indígenas para aprovação de obras
https://f.i.uol.com.br/fotografia/2019/08/05/15649989925d47fd50d6c6f_1564998992_3x2_th.jpg
MERCADO
Informalidade no país atinge quase 40 milhões de pessoas, diz IBGE
Número de trabalhadores por conta própria chegou a 24,3 milhões, novo recorde
Link relacionado
Desemprego recua com recorde de trabalho informal
https://f.i.uol.com.br/fotografia/2019/10/01/15699552625d939dbed2a3a_1569955262_3x2_th.jpg
Entenda os conflitos entre ativistas e o governo chinês em Hong Kong
https://f.i.uol.com.br/fotografia/2019/09/17/15687538215d81489d65b8a_1568753821_1x1_th.jpg
FOLHA NA SALA
Conteúdo com áudio Podcast Folha na Sala discute o desafio das fake news na escola
Grupo de família no WhatsApp preocupa professores como vetor de notícia falsa
semana na educação
SIGA A FOLHA
Twitter Linkedin Instagram RSS
Assine a Folha
 
Contato
 
Política de Privacidade
Para assinar as newsletters da Folha, clique aqui.
Copyright Folha de S.Paulo | Todos os direitos reservados